PALCOS

logo_facebook logo_twitter logo_tumblr logo_instagram 

  • none
  • none
  • none
por

Em Março, o teatro do artista Guy de Contet vai ter lugar na Culturgest e poderá ser apreciado nos dias 5 e 19. Trata-se de uma ocasião única de conhecer a obra singular do artista através de algumas das suas primeiras peças teatrais.

Foi em Los Angeles, onde se radicou em 1966, que Guy de Cointet produziu uma obra notável de grande relevância no campo das artes visuais. No contexto da sua exposição retrospectiva na Culturgest, são apresentadas várias das suas peças teatrais, para as quais escreveu os textos e produziu os objectos cénicos. Nelas se manifesta um fascínio pela linguagem e pelos seus usos em contextos tão diferentes como a literatura (Raymond Roussel é uma referência assumida), a televisão e a rádio, ou as conversas quotidianas – um fascínio que também cultivou na sua produção de desenho. Guy de Cointet explorou recorrentemente procedimentos de codificação e abstracção da linguagem a partir do cruzamento entre texto, forma e cor. Nas suas peças teatrais, o artista desenvolveu um estilo pleno de artifício e de humor, construindo narrativas em que o familiar, o absurdo e o enigmático se entrelaçam.

Segundo António Guerreiro, “na verdade, as performances teatrais de Guy de Cointet consistem numa operação que suspende a prosa narrativa para fazer emergir a poesia, se entendermos aqui por poesia o que, por vários meios, interrompe a continuidade narrativa e expõe a palavra a si própria. Essa exposição que estas peças praticam é uma espécie de sabotagem da transparência narrativa. O espectador sente que aquilo que lhe está a ser contado está ao mesmo tempo a ser sabotado, e que a linguagem é o instrumento de sabotagem e de opacidade. E o ponto de partida narrativo torna-se uma ilusão que a performance desfaz.”

Aqui vos deixamos a programação:

Sábado 5 de março · 18h30 · Pequeno Auditório

Two Drawings (1974)
Duração: 20 minutos
Em inglês, sem legendas
Encenação: Yves Lefebvre
Interpretação: Mary-Ann Duganne Glicksman

My Father’s Diary (1975)
Duração: 15 minutos
Em inglês, sem legendas
Encenação: Yves Lefebvre
Interpretação: Sarah Vermande

Sábado 5 de março · 20h · Pequeno Auditório

Going to the Market (1975)
Duração: 15 minutos
Em inglês, sem legendas
Encenação: Yves Lefebvre
Interpretação: Mary-Ann Duganne Glicksman

At Sunrise A Cry Was Heard or The Halved Painting (1974)
Duração: 20 minutos
Em inglês, sem legendas
Encenação: Yves Lefebvre
Interpretação: Violeta Sanchez

Sábado 19 de março · 21h30 · Pequeno Auditório

Comme il est blond! (ou De toutes les couleurs) (2013)
Recriado em 2013
Duração: 40 minutos
Em francês, sem legendas
Encenação: Yves Lefebvre
Interpretação: Sarah Vermande, Pauline Haudepin e Paul Launo

Guy de Cointet · Teatro
5 e 19 de março | Pequeno Auditório | Preço:€5 (bilhete conjunto para as duas sessões de 5 de março:€7)

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter

Subscreva-me para o mantermos actualizado:

Palcos