DIÁRIOS DO UMBIGO

  • none

O Fluid, ali em Santos, foi um micro-club lisboeta. Comecei a tocar lá nas terças-feiras à noite e fui progredindo até chegar à noite de sábado. Permitia-me tocar um registo mais Deep House o que me agradava imenso. A proximidade das pessoas com a cabine, por vezes, complica e perturba o trabalho do DJ, desconcentrando-o. […]

  • none

1984 foi um ano de grandes produções musicais. Foi também o ano em que comprei o meu primeiro maxi-single. Para muitos dos meus amigos foi uma estranheza e disseram que não prestava. Para outros foi o momento de viragem para outras sonoridades, mais distantes do rock depressivo da época. Por incrível que possa parecer, uma […]

  • none

Há alguns anos atrás existiram umas festas que começaram como pequenas reuniões de amigos em bares da linha do Estoril. Sob a temática de Candy House ou Flores, estas festas foram ganhando notoriedade e, apesar de só serem publicitadas por sms, acabaram por ter centenas de pessoas nas últimas edições. Uma dessas festas ocorreu no […]

  • none

Durante alguns anos, em Lisboa, existiu um circuito alternativo muito interessante para quem gostava de sair à noite e dançar. Começava no Frágil, no Bairro Alto, onde só se entrava se a Margarida Martins nos desse um Abraço. Depois descia ao Indústria, ali na Rua do Instituto Industrial, para dançar ao som do Tó Ricciardi […]


Diários do Umbigo

Newsletter

Subscreva-me para o mantermos actualizado: