FOTOGRAFIA

logo_facebook logo_twitter logo_tumblr logo_instagram 

  • none

É já no próximo dia 5 de Março às 18h que inaugura a exposição e é lançado o livro Zona de Nuno Moreira. A Travessa da Ermida acolhe este projecto de edição do fotógrafo, realizado entre Tóquio e Lisboa. A  edição de luxo é limitada a 300 exemplares e irá estar disponível no espaço.

Uma sala de sonhos onde as palavras não surgem e o vazio se torna avassalador. Nela a presença do corpo como método de trabalho. É ele que define o espaço interior e exterior e é ele que representa o limite e a tangência com a realidade, numa poesia gestual que se esfuma na penumbra.

Zona 2

No espaço temporal de um dia um conjunto de imagens começam a surgir. O ambiente, fechado e íntimo, lentamente se contextualiza numa sala de pânico que deixa antever pulsões, instintos, impulsos orgânicos e desejos inconscientes. A história circunscrita a um espaço representa a sala mental do inconsciente; perturba visualmente o espectador pela força expressiva de imagens simultaneamente incómodas, delicadas e poéticas.

Zona 3

Nuno Moreira é persona presente e omnipresente neste processo de construção de imagens reveladoras do inconsciente. Simultaneamente voyeur o artista encarna no objecto do seu trabalho, a modelo, sonhos, pesadelos, angústias e ansiedades que atribuem à sequência uma fisicalidade extrema. Na base das imagens todo um conceito imagético próximo da cinematografia de Tarkovsky, Bela Tarr ou Bergman.

Zona 4

Zona encerra um conjunto de medos e sonhos provenientes de um universo interior, difícil de passar a imagens. São sim ideias-chave de um mundo interior pejado de ausência e vazio surgidas numa altura em que o autor lia sobre Jung e sobre a representação de arquétipos. “A ideia do abismo fascina-me em todos os aspectos, há quase uma necessidade completa de perceber o que está para além do véu”, revela o autor. Das leituras de Jung surgiram desenhos e palavras, que deram posteriormente à luz imagens. Segundo Jung, “os sonhos são produtos imparciais e espontâneos da psique inconsciente, mostram-nos a verdade natural sem adornos”. “Para Jung, os símbolos oníricos, como aliás qualquer outro símbolo são tentativas de individualizar a anima, a persona, a sombra e outros arquétipos, e de unificá-los num todo harmonioso equilibrado” (Introdução à Psicologia Jungiana, de Calvin S. Hall e Vernon J. Nordby).

Zona 5

Fotografado em Tóquio e finalizado em Lisboa, Zona representa uma continuidade de State of Mind, o anterior trabalho de Nuno Moreira. Neste último fotografias de pessoas, em momentos de pensamento, resultantes de vários anos de viagem. De um arquivo de pessoas isoladas em diferentes situações surge um padrão: personagens absortas da realidade. No fundo ambos retratam paisagens interiores representadas de forma estilisticamente diferente.

ARTIGOS RELACIONADOS

Fotografia

Newsletter

Subscreva-me para o mantermos actualizado: