MÚSICA

  • none

Fotografia: Hillary Harris.

Calvin Johnson é conhecido por ter fundado os históricos Beat Happening, alem de ourtras bandas não tão seminais mas que também tiveram a sua relevância estética (Dub Narcotic Sound System, Go Team ou Halo Benders). E claro, é o patrão da K Records, influente editora indie e amigo e colaborador de gente como Kurt Cobain ou Beck.

E foi num belo cenário que pudémos assistir à sua performance, na igreja anglicana de Saint George, local que se revelou ideal para ouvir esta voz única, acompanhada pela viola acústica deste músico natural de Olympia, cidade que ao longo das últimas décadas nos tem oferecido muito boa música.

Aproveitando a óptima acústica do espaço, Calvin Johnson desfilou as suas gentis e frágeis canções sem recorrer a amplificação, com a sua impressionante voz a impôr-se naturalmente, uma espécie de Johnny Cash do mundo indie, com o seu tom grave a lembrar essa lenda da música americana.

E foi interessante testemunhar a simplicidade e economia de meios com que Johnson presenteou a audiência, optando por tocar material novo em grande parte do concerto, composições da sua banda mais recente, os Hive Dwellers. Canções que se apoiam numa certa ideia de tradição, que tanto vão beber à folk como ao rock´n´roll dos anos 50, tudo embrulhado numa leveza pop que se saúda e sabe bem.

Calvin Johnson comunicou com o público de uma forma desarmante, tecendo comentários sobre tópicos tão diversos como os avanços da medicina para aumentar a esperança de vida ou observações sobre o 1º de Maio e, a propósito do feriado, as diferenças culturais entre Europa e Estados Unidos. Sempre espontâneo e com algum sentido de humor. Entregou-se ainda à dança, nos momentos em que deixava a viola de lado e cantava à capela, com os seus movimentos corporais a reforçarem a ideia de estarmos perante uma personagem algo excêntrica, com um estilo singular.

Atravessar o cemitério até chegar à igreja para ouvir as estranhas canções de Calvin Johnson sobre assuntos tão mundanos como ir ao cinema ou sobre a vida em Olympia... Uma noite diferente, definitivamente.

ARTIGOS RELACIONADOS

Música

Newsletter

Subscreva-me para o mantermos actualizado: