DIÁRIOS DO UMBIGO

  • none

Existem receitas que nos trazem à memória boas recordações, esta é uma delas.

Recordo-me de ser miúda e ver a minha avó “emprestada” a amassar a massa e, com uma mistura de precisão e energia, atirá-la contra a bancada. Depois, ainda não contente com esta “espécie de tortura”, passava-lhe com o rolo por cima. É claro que eu lhe pedia para ela me envolver neste processo (participava na parte mais simples) e, com as mãos peganhentas de massa, sentia-me feliz.

A receita que hoje vos trago hoje é de uma tarte de limão – pode ser uma sobremesa ou um bom acompanhamento de um chá, servido à hora do lanche.

Sobre o limão:

Muito se especula sobre a sua acidez, e somos muito pragmáticos em relação à tolerância que o estômago possa ter, no entanto existem estudos que o referem como elemento neutralizante da acidez interna, pois os seus sais convertem-se em carbonatos e bicarbonatos de cálcio e potássio que ajudam a acentuar a alcalinidade do sangue;

Contém células anticancerígenas e ajuda também a prevenir a pedra nos rins;

Previne gripes e constipações;

É cicatrizante e, embora arda, pode colocar-se sobre um corte ou arranhão;

Ajuda a perder peso com a sua característica saciante (um copo com água e limão em jejum) e a libertar materiais indesejados, logo, combate a prisão de ventre;

Na limpeza da pele (previne o envelhecimento) e no desaparecimento de manchas.

Tarte de limão 2

Tarte de Limão

Base:

250 g de farinha
50 g de açúcar
100 g de manteiga
2 ovos inteiros

Junta-se a margarina com a farinha, o açúcar e os ovos inteiros, e desfaz-se tudo com as mãos.
Faz-se uma bola, amassa-se, bate-se a massa contra a bancada da cozinha e volta-se a formar uma bola; quando virmos que a massa está tenra e ligada, alisamo-la com o rolo da massa.
Unta-se a forma de uma tarteira com manteiga, e coloca-se a massa já esticada – convém preencher totalmente a base da tarte.
Leva-se ao forno até estar cozida.

Recheio:

300 g de açúcar
100 g de manteiga
6 ovos inteiros
2 limões (raspas e sumos)

Leva-se a manteiga a derreter.
Bate-se os ovos com o açúcar, junta-se a manteiga derretida (morna) e, por último, o sumo de limão e as raspas.
Deita-se na base de tarte, que fizemos anteriormente, e levamos ao forno. O seu aspecto deverá ser semelhante ao de uma queijada.
Servida fria torna-se mais agradável.

ARTIGOS RELACIONADOS

Diários do Umbigo

Newsletter

Subscreva-me para o mantermos actualizado: