Top

Hannah Arendt (2012), de Margarethe von Trotta

A obra da cineasta alemã Margarethe von Trotta distingue-se por retratos fortes de protagonistas femininos, com uma componente política e social associados. Anos de Chumbo (1981) e Rosa Luxemburgo (1986) são exemplos desta realidade.Realizado em 2012, Hannah Arendt, interpretada por Barbara Sukowa, não é exceção....

A obra da cineasta alemã Marg...

Ler Mais

Blue Jasmine (2013), de Woody Allen

Woody Allen é exímio na forma como retrata as narrativas que o próprio cria. O humor que sempre imprimiu nos seus filmes é absolutamente magnífico, abordando questões relacionadas com a psicanálise, o sentido da vida, a obsessão pela morte, a paranoia. E é através desta...

Woody Allen é exímio na form...

Ler Mais

Hunger (2008), de Steve McQueen

Ao contrário do poema de Mário de Sá Carneiro Quasi, a Steve McQueen não lhe faltou o golpe de asa. O cineasta britânico conta já no curriculum com duas obras notáveis, Hunger (2008) e Shame (2011).Quando se trata de Steve McQueen, as expectativas são sempre...

Ao contrário do poema de Már...

Ler Mais

Amour (2012), de Michael Haneke

Michael Haneke é, na minha opinião, um dos melhores cineastas contemporâneos. Não escolhe caminhos fáceis. Assumidamente provocador, explora temáticas a contracorrente, não hesitando em expor os comportamentos de uma sociedade alienada, de uma forma brutal, sem qualquer tipo de contemplações. O realizador austríaco retrata realidades...

Michael Haneke é, na minha op...

Ler Mais

Holy Motors (2012), de Leos Carax

O leitmotiv da obra de Leos Carax, cineasta francês, é a busca incessante por representações de figuras torturadas, expondo os comportamentos do ser humano em toda a sua plenitude. Este é um exercício árduo, que enfrenta com uma criatividade singular nas suas encenações. Carax explora...

O leitmotiv da obra de Leos Ca...

Ler Mais

Subscreva a nossa newsletter!


Aceito a Política de Privacidade

Assine a Umbigo

€24

(portes incluídos para Portugal)