Top

Novas Marcas na Casa Pau-Brasil

Um redescobrimento do Brasil, uma abordagem patriótica, uma celebração daquilo que de melhor se faz no país.

Príncipe Real foi o nome da nau principal que, em 1807, concretizou a transferência da Corte Portuguesa para o Brasil e título que nasceu quando, em 1815, D. João VI elevou o Brasil à categoria de Reino — é o nome de um dos bairros mais nobres e cosmopolitas de Lisboa. Pau-Brasil, um manifesto escrito por Oswald de Andrade que profetizava um país que trocava a importação pela exportação. A obra, publicada em 1925, lançou o movimento dos primitivistas e dos modernistas na defesa das raízes brasileiras.

Foi a partir dessa inspiração que o empresário Rui Gomes Araújo, que já era sócio da IMPERIVM, uma empresa de representação de marcas brasileiras em Portugal, concebeu a Casa Pau-Brasil e escolheu como palco o bairro trendy do Príncipe Real para recontar essa história.

Inaugurada a 22 de Abril deste ano — não por acaso no mesmo dia do descobrimento da ex-colónia — a proposta do espaço, uma concept store instalada num palacete de arquitetura pombalina do séc XVIII, vai de encontro ao manifesto: representa uma homenagem, uma desconstrução da imagem a que estamos habituados, um mergulho na densidão da brasilidade e emersão da singularidade, um novo entendimento do Brasil, sob o ponto de vista do europeu e do próprio brasileiro.

Atentos ao conceito e à curadoria fundamentada da Casa, o Fashion Label Brasil, programa de exportação de moda brasileira criado pela ABEST (Associação de Estilistas Brasileiros) em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) apresenta até 12 de novembro, as coleções de 10 marcas brasileiras, complementando as dezoito que são permanentes no Palácio.

Roupas, ténis e malas fazem parte do portefólio seleto de marcas, como: Cabana, Catarina Mina, Cecilia Prado, Denise Gerassi, Isolda, Lilly Sarti, Martha Medeiros, SERPUI, UMA | Raquel Davidowicz e Veja.

Apesar de eminentemente comercial, a casa Pau-Brasil traça um caminho focado em tornar-se numa referência de apreciação e experimentação sensorial do que há de melhor no Brasil. Segundo Rui Gomes Araújo, da Casa Pau-Brasil, “queremos ser a Casa que apresenta e representa o que de melhor se faz no Brasil. De um Brasil brasileiro, de vocação global e ambição internacional. Somos um ponto de venda, mas queremos ser também um laboratório, palco e plataforma para a internacionalização de marcas em que acreditamos”.

Da decoração inspirada em ocas (casas indígenas brasileiras) da cenógrafa Joana Astolfi à pluralidade das marcas com vocação internacional. Do ADN da equipa ao convite do espaço como celebração da cultura brasileira.

Texto de Cristiane Cotrim

Umbigo