Top

Ponto

Palavras, leva-as o vento, diz o ditado. Aos atores que pisam o palco do Teatro Nacional D. Maria II, leva-as o sopro de Cristina Vidal, noite após noite, há 25 anos.É a velha história das profissões invisíveis: o secretário por trás do presidente, o poeta...

Palavras, leva-as o vento, diz...

Ler Mais

You gotta fight for your right to cry

You gotta fight for your right to cry ou, nas palavras de Sónia Baptista, “usar a tristeza para ativar a zanga e conseguir assim lutar por um mundo melhor e mais justo”. Triste in English from Spanish descasca as camadas do filtro da felicidade até...

You gotta fight for your right...

Ler Mais

15 Anos de MADEIRADiG

O Verdadeiro Sentido do LuxoNa Estalagem da Ponta do Sol, Valeriu Borcos, da banda Karpov not Kasparov, toca piano; a audiência descontraída ouve, aprecia. Lá fora, músicos e público olham para o pôr do sol relaxados.À chegada, várias pessoas circulam pelos espaços do hotel, entre...

O Verdadeiro Sentido do Luxo ...

Ler Mais

Coletivo Casa Amarela

com Rui P. Andrade & Aires (Vítor Bruno Pereira)O palco do MUDAS encheu-se de plantas para receber a música de Rui P. Andrade & Aires, stage name de Vitor Bruno Pereira, ambos madeirenses e cofundadores do Coletivo Casa Amarela (CCA). Em concerto apresentaram Dreaming of...

com Rui P. Andrade & Aires...

Ler Mais

Maja Osojnik

Uma Arquitetura de ComposiçãoNo MADEIRADiG, uma voz intensa e mãos macias e delicadas manipulam os instrumentos como se estivéssemos perante uma peça de dança contemporânea. O concerto de Maja Osojnik é daqueles que ficam na nossa memória dias depois da atuação. Let Them Grow, o...

Uma Arquitetura de Composiçã...

Ler Mais

Ana da Silva e Phew

Linguagem Entre IlhasUm concerto absolutamente memorável, levou parte da audiência à emoção, apesar de ser apenas o segundo concerto da dupla. Cinco dias antes haviam tocado em Londres e de seguida viajaram para a ilha da Madeira para apresentar Island: um álbum editado pela Shouting...

Linguagem Entre IlhasUm co...

Ler Mais

Voltar ao Arquipélago

Voltar aos Açores é tão natural como forçoso, uma vez conhecida a terra. Já tinha escrito aqui [Umbigo #65] que há qualquer coisa naquela atmosfera que nos prende. Mais: que nos estremece. Uma dimensão tamanha, um silêncio profundo e poético. Talvez seja exatamente esta incapacidade...

Voltar aos Açores é tão nat...

Ler Mais

Subscreva a nossa newsletter!


Aceito a Política de Privacidade

Assine a Umbigo

€18

(portes incluídos para Portugal)